Como diminuir a inadimplência no seu mercado através de checagem de clientes

A inadimplência está presente em todos os segmentos e lados do ciclo econômico, hoje, observa-se sua presença tanto na vida dos consumidores, quanto dos produtores. O país, segundo pesquisas do Serasa Experian, começou o ano de 2016 com 59 milhões de pessoas com contas atrasadas, em comparação com o mesmo período do ano anterior, houve um aumento de 9,1%.

As dívidas em atraso incluem serviços das financeiras como cartões de crédito, além de prestações de compras no comércio e mensalidades de serviços públicos, como água, luz e telefone. Aponta-se a alta taxa de desemprego como um dos principais fatores da inadimplência no país, soma-se a isso a inflação e os juros altos.

Economicamente pode-se apontar inúmeros fatores que levaram a esse cenário, além da possibilidade, por meio de pesquisas e levantamento de dados, de classificação dos perfis, desde aqueles mais propensos a não cumprirem seu compromissos financeiros – classificando-os como grupo de risco -, até os grupos de não risco.

As perspectivas econômicas não são muito positivas, cabendo, assim, cada setor traçar sua estratégia para não fazer partes das estatísticas. Isso é possível a partir da checagem de clientes, isto é, constatar se ele está ou não negativado, se já fez ou não parte do grupo de risco, basicamente analisar seu histórico financeiro.

  • Checagem de clientes

Outro estudo realizado pelo Serasa Experian traçou o mapa da inadimplência no país em 2014, nele é possível identificar as regiões com maior porcentagem de inadimplentes. Foram considerados municípios com população acima de 1000 habitantes. A pesquisa apontou que a região que concentra mais inadimplentes é a Norte, atingindo 31,1% da população, seguida pelo Centro-Oeste, com 26,4%. Em seguida, vem a região Sudeste (24,5%) e a Nordeste (23,6%). A região Sul é a que menos apresenta inadimplentes com 22,4%.

Além disso, classificou-se a taxa de inadimplência por faixa etária e grupos da população brasileira, que constatou que o grupo Jovens Adultos da Periferia representa 23% dos inadimplentes no Brasil. O estudo também mostra que 34% do total de pessoas que compõem esse grupo ficaram inadimplentes em 2014, maior percentual dentro dos grupos. Esse grupo representa 16,8% da população brasileira.

No outro extremo, encontra-se o grupo Experientes Urbanos de Vida Confortável, que apresentou o menor percentual de endividados, representando 2%. A massa trabalhadora urbana corresponde a 17% dos devedores do país O grupo com o terceiro maior percentual de inadimplentes do país é o de Adultos Urbanos estabelecidos, que representam 14%. Quando consideramos apenas os percentuais de endividamento dentro dos grupos, os Donos de Negócio se destacam com o maior número: 41% dos indivíduos estão inadimplentes.

Todas as informações levantadas demonstram a possibilidade de classificação dos perfis, podendo assim realizar uma filtragem, separando os inadimplentes do resto da população. Atualmente, existem empresas, como a Idwall, que realizam esse tipo de serviço de maneira rápida e eficiente

Loading Facebook Comments ...