5 melhores países para o comércio além da fronteira

A internet tornou-se uma ferramenta capaz de transcender as fronteiras; regiões separadas por quilômetros de distância são unidas com apenas um clique, isso, graças à tecnologia que nos permite estar em qualquer lugar digitalmente num piscar de olhos.

Essa conexão além das fronteiras pode ser percebida no volume de compras realizas pela internet. O mundo, hoje, está praticamente em nossa porta. A possibilidade de vender além de sua fronteira por meio do e-commerce abriu novos mercados para os produtores de todo o mundo. A facilidade e praticidade proporcionada por esse novo mercado têm ganhado diariamente novos adeptos, que além de terem uma maior variedade de produtos, os recebem em casa.

Uma pesquisa realizada pelo Google juntamente com a Paypal, em julho de 2015, apontou que Inglaterra, Estados Unidos, China e Alemanha são os maiores mercados de e-commerce do mundo. Em outro estudo realizado pela Paypal, em novembro do mesmo ano, constata-se que Estados Unidos e China são os destinos mais populares, 19 a 25% de todos os comprados online são de um dos países.

Há ainda aqueles países que os números de compras além das fronteiras tem crescido significantemente, e o Brasil é um deles.

Índia – 500% de crescimento

O relatório da Forrester encomendado pela FedEx aponta que a Índia foi projetada para experimentar um aumento de 500% nas vendas de varejo online entre 2014 e 2018. Embora, a inserção da internet ainda seja extremamente baixa, o país deve se tornar o segundo maior mercado do mundo em 2018, com 297 milhões de usuários.

Outro fator que é, sem dúvida, responsável por esse crescimento encontra-se na expansão da classe média. Atualmente 5% do total da população, ou seja, 50 milhões de pessoas pertencem a essa classe. Em 2020, estima-se que o número de pessoas da classe será superior a 200 milhões, e em 2030 a 475 milhões.

China – 125% de crescimento

Com uma classe média maior do que dos Estados Unidos, a China tem agora 109 milhões de pessoas nesta faixa de renda. Estudos apontam que o crescimento do comércio eletrônico no país deve aumentar 125% no decorrer dos quatro anos que antecedem 2018.

Apesar da desaceleração econômica mundial e o enfraquecimento de sua moeda, as perspectivas para as vendas de varejo online são positivas. Os  “Connected spenders”, aqueles que têm tanto meios monetários como acesso a internet, irão aumentar sua cota de gastos para 60% em 2025.

Argentina – 106% de crescimento

A Argentina recentemente experimentou uma mudança governamental, resultado da política econômica voltada para o interior do país. Depois de anos de alta inflação e altas taxas de juros, o novo presidente argentino fez uso de uma agressiva medida para restabelecer a confiabilidade do país frente ao mercado internacional, com o intuito de atrair novos investimentos.

Espera-se que as compras de e-commerce na Argentina atinjam o valor de 6,8 bilhões de dólares em 2018, solidificando-se como o segundo maior mercado de compras online da América Latina.

México – 96% de crescimento

O México é o terceiro maior mercado de e-commerce da América Latina e seu potencial de crescimento é altíssimo. Entretanto, há dois fatores que desestimulam o seu crescimento, a falta de confiança do serviço postal mexicano para as entregas de mercadoria e acesso limitado as contas bancárias para a realização dos pagamentos.

Apesar de tais contratempos, as perspectivas de crescimento do comércio eletrônico são positivas, principalmente pelos altos níveis de utilização de smartphones.  O país está a frente dos outros países do bloco em termos de penetração do aparelho; enquanto menos de 25% da população brasileira e argentina utilizam o aparelho, cerca de 33% dos mexicanos o possui, tornando-se o maior mercado de telefonia móvel na América Latina. No final de 2015, havia 65 milhões de internautas mexicanos. Em 2018, esse número chegará a 80 milhões.

Brasil – 84% de crescimento

Considerado uma nação de classe média, sua força econômica o impulsionará para a posição de quinto maior mercado consumidor do mundo, colocando-o à frente de países como França e Reino Unido. O Brasil é a maior economia da região, 58% da sua população tem acesso a internet, o que o torno um mercado altamente atraente para o comércio eletrônico.

A Amazon tem estabelecido uma forte presença no país. Hoje, o Brasil, é o seu maior mercado externo, com vendas atingindo o valor de 10 bilhões de dólares em 2015, isso que o país atravessa um período de recessão econômica.

O e-commerce está crescendo nos mercados emergentes, mudando a maneira de consumir. Junto com esse novo mercado, surgem novas preocupações, principalmente porque todas as transações são feitas de maneira online. E a segurança? Dessa maneira, é mais do que necessário o desenvolvimento de meios e plataformas que auxiliam em todo o processo e proporcionem a segurança, evitando a ocorrência de fraudes e outros problemas.

Loading Facebook Comments ...