Abertura e fechamento de contas online

fintech

No início da década de 90, os consumidores ganharam uma nova forma de realizar suas transações bancárias de maneira segura, isso, graças ao advento do internet banking, serviço fornecido por cada instituição bancária aos seus usuários. Nele é possível a realização de transferências, consultas, pagamentos entre outros serviços por meios eletrônicos, cujo objetivo central é facilitar a vida dos clientes, trazendo comodidade e agilidade para o dia a dia. Nesse intuito, os bancos, não só por meio do internet banking, buscam constantemente mecanismos que beneficiem seus usuários.

Desta maneira, o Banco Central (BC), em fevereiro de 2013, anunciou a criação do programa Otimiza BC, na qual propunha a diminuição dos processos e fluxos de informações dos bancos, assim como, a redução de tarifas. Desde então, vem trabalhando para o cumprimento de tais propostas, melhorias e aperfeiçoamentos.

No final de abril deste ano (2016) o Conselho Monetário Nacional (CMN) anunciou a regulamentação da abertura e fechamento de contas – poupança e corrente – pela internet.

A nova norma, parte do programa Otimiza BC, permite a abertura e fechamento de contas sem a necessidade de ir à uma agência fixa. Vale ressaltar que as mesmas regras das contas convencionais são válidas para esse novo sistema, desde questões cadastrais, tarifas e medidas de segurança. A norma também prevê o uso de tecnologias para evitar possíveis fraudes, fornecendo segurança para os bancos e seus clientes.

O CMN afirma que o uso de instrumentos eletrônicos para tal finalidade não é obrigatória paras as instituições financeiras, cabendo a cada uma delas o fornecimento ou não do serviço. Além disso, garante-se que os bancos não façam discriminação entre clientes e não clientes em seus caixas eletrônicos, salve às exceções como boletos vencidos, pagamentos de cheques de outras instituições e convênios.

Mecanismos de Segurança

Ao autorizar a abertura e fechamento de contas online, os bancos terão que adotar procedimentos que garantem a autenticidade dos documentos eletrônicos. Para isso, pode-se fazer o uso de tecnologias como o contato por vídeo, assinaturas e digitais eletrônicas, como também o reconhecimento de voz. Os usuários poderão enviar seus documentos por e-mail ou aplicativos. Todo o processo passará por várias checagens eletrônicas, diminuindo os riscos de fraude.

A IDwall, por exemplo, possui diversos produtos que podem auxiliar essas empresas no cumprimento dos compliances de KYC e AML, além de soluções de anti-fraude e análise de crédito.

Vantagens

Além da praticidade e comodidade, a medida do CMN beneficia aqueles que moram em cidades com menos de 200 mil habitantes, onde a oferta de bancos é limitada, e a população “desbancarizada”, permitindo a inclusão bancária. Acredita-se que haverá uma melhora dos serviços, assim como uma queda das tarifas, tendo em vista que os clientes poderão trocar de banco com maior facilidade.

 

Loading Facebook Comments ...