Home Outros As principais características que uma equipe de compliance precisa ter

As principais características que uma equipe de compliance precisa ter

by Nathalia Paz
equipe-de-compliance

Montar uma equipe de compliance tem sido um desafio para empresas que desejam implementar esses processos em sua estrutura. Uma das dificuldades encontradas está relacionada a quais profissionais devem compor um equipe de conformidade.

O departamento deve ser formado por um CCO (Chief Compliance Officer), analistas e assistentes. Em grandes instituições, faz-se necessária também a presença de coordenadores e gestores. O ideal é que a equipe seja formada por um profissional de cada área, cobrindo assim todos os setores da empresa.

Além disso, durante a escolha dos colaboradores, deve-se levar em consideração algumas características que serão de extrema importância para o bom funcionamento dos processos de compliance da sua empresa.

Pensando nisso, listamos a seguir as principais características que um profissional de compliance deve ter.

Capacidade de trabalhar sob pressão

Um profissional capaz de lidar com o estresse é fundamental. Os negócios realizados movimentam grandes quantias de dinheiro e envolvem processos repletos de detalhes, sendo necessário proteger os interesses de sua empresa e de seus clientes.

A área de compliance envolve uma grande quantidade de informações que precisam ser processadas e analisadas, o prazo talvez não seja suficiente e problemas podem aparecer no meio do caminho. Dessa maneira, ter um funcionário que saiba trabalhar sob tais condições, capaz de manter o equilíbrio pessoal e garantir os resultados, é um fator importante para o bom funcionamento dos processos.

Boa capacidade análitica

Nem sempre haverá uma solução fácil para os desafios encontrados durante os processos de compliance. O profissional deve ser crítico nas soluções propostas, ser capaz de tomar decisões eficazes rapidamente e estar sempre em busca de conhecimento. Além disso, é fundamental que ele saiba lidar com problemas de maneira ponderada e racional, analisando cada detalhe.

As habilidade de um colaborador com boa capacidade análitica envolvem ter curiosidade e ter a capacidade de interpretar dados, visualizar e reconhecer padrões de comportamento, resolver problemas e racionalizar de forma lógica.

Integridade

Ter um bom princípio moral é uma característica desejada em qualquer funcionário, é claro, mas é absolutamente necessária para as pessoas que trabalham com compliance dada a importância e a confidencialidade dos dados analisados.

O profissional deve estar alinhado com os valores da empresa, honrando as normas e procedimentos e sendo sempre transparente. Isso é fundamental para que a organização mantenha-se sempre em compliance.

Detalhista sem perder a visão global

Algumas vezes, a menor coisa pode fazer uma grande diferença. É importante que as equipes de compliance tenham um ótimos olho para detalhes.

Mas, tão importante quanto prestar atenção em detalhes, é necessário ver o quadro geral da situação. Assim, será possível dizer quais pontos menores realmente importarão no longo prazo.

Pensamento proativo e reativo

Um colaborador proativo é capaz de agir antes de uma situação se tornar um problema ou até mesmo uma crise. Ele analisa todas as possibilidades e escolhe um caminho, almejando sempre o melhor resultado. Além disso, ele deve identificar os momentos importantes e reagir trazendo ideias, análises e soluções.

Dessa maneira, um bom profissional de compliance deve ser capaz de antecipar violações de regulamentos ou outras situações semelhantes, reagindo de maneira oportuna e eficaz diante de complicações imprevistas.

Bom relacionamento

O compliance é feito por meio do trabalho em equipe, e o bom relacionamento dos funcionários faz-se mais que necessário para o funcionamento do processo.

A comunicação entre os membros deve ser clara para que todos os integrantes saibam exatamente o desenvolvimento das atividades. Todos são responsáveis pelos procedimentos realizados e, dessa maneira, tanto o sucesso quanto o fracasso é coletivo.

Feita a escolha dos profissionais, é preciso investir em treinamentos, que serão a chave principal para o bom funcionamento do compliance.

Com a capacitação e preparação dos funcionários, você poderá identificar falhas nos próprios processos, possibilitando a implementação de melhorias e, caso necessário, a terceirização das atividades — uma estratégia de ótimo custo-benefício que permite que as demandas sejam feitas com mais rapidez e eficácia.

Agora que você sabe quais são as características mais importantes para uma equipe de compliance, converse com nossos especialistas para entender quais demandas podem ser automatizadas por meio de nossas soluções de KYC, AML e onboarding digital!

Related Posts

Loading Facebook Comments ...