Home Outros Você sabe a diferença entre autenticação, detecção e reconhecimento facial?

Você sabe a diferença entre autenticação, detecção e reconhecimento facial?

by Karina Menezes
diferença entre autenticação, detecção e reconhecimento facial

Reconhecimento, autenticação ou detecção facial?  Mesmo que façam parte do cotidiano de muitas pessoas e estejam presentes em inúmeras soluções desenvolvidas para o mobile, essas ferramentas ainda causam confusão e são tidas como similares – mas, na verdade, elas têm o seu papel bem delimitado.  

Atualmente, as três tecnologias têm sido utilizadas de forma intensa por organizações públicas e privadas, com o propósito de reforçar a segurança e de combater crimes que trazem grandes prejuízos financeiros – segundo a Thomson Reuters, para se ter uma ideia, as empresas brasileiras investem 4,9% de sua receita para prevenir essas infrações, cada vez mais recorrentes no mercado.

Reconhecendo a necessidade de dedicar parte de sua receita à prevenção, as empresas têm adotado a autenticação, detecção e o reconhecimento facial como aliados, junto a outras formas de verificação e identificação por biometria. Você sabe explicar a diferença entre elas? 

Detecção facial: o primeiro passo 

A detecção facial é tida como um sistema mais amplo, um passo que antecede o reconhecimento facial ou a autenticação facial – ela vai apontar, a partir de uma determinada imagem ou vídeo, se ali existe um rosto. 

Esse processo é feito com a utilização de algoritmos de machine learning, permitindo que a ferramenta aprenda a detectar rostos com maior precisão, além de determinar características como a escala, localização e a orientação de uma face. 

Usualmente, a detecção tem como primeiro passo a identificação dos olhos, uma das áreas mais fáceis de serem localizadas. Assim que são encontrados, parte-se para as outras regiões, como sobrancelhas ou nariz – é importante destacar que nenhuma dessas etapas tem como objetivo verificar a identidade de uma pessoa. Portanto, a detecção facial é um procedimento anônimo. 

Após a detecção do rosto, é possível ainda realizar testes adicionais para reforçar a conclusão de que o objeto encontrado é, de fato, um rosto. A partir desse primeiro momento e algumas etapas de pré-processamento, pode-se então realizar o reconhecimento ou a autenticação facial. 

Reconhecimento facial (e como funciona)

Se o propósito da detecção é determinar se existe ou não um rosto em uma imagem, o reconhecimento facial é um sistema que tem como objetivo responder ao questionamento: de quem é o rosto? Essa resposta vem por meio de análises e comparações com base em imagens previamente armazenadas. 

Por meio da predição, um sistema de reconhecimento facial analisa a probabilidade de um rosto ser o mesmo de um documento ou de algum rosto armazenado em base de dados. Esse processo é realizado a partir dos seguintes passos: 

  • Primeiro, a ferramenta realiza uma captura do rosto de uma pessoa por meio de uma foto ou de um vídeo; 
  • É feita então uma análise da imagem. É nesse momento que as características únicas da pessoa são analisadas, por meio do que chamamos pontos nodais – alguns exemplos de pontos nodais são a distância entre os olhos, o tamanho da mandíbula ou as maçãs do rosto; 
  • A partir dessa análise, é extraída uma espécie de “assinatura” única do indivíduo, que é comparada a outras assinaturas capturadas por meio de documentos e imagens, armazenadas em um banco de dados;
  • Depois disso, a ferramenta estabelece o grau de compatibilidade entre as imagens analisadas. A partir dessa aproximação, determina-se o quanto a pessoa é ou não a mesma das demais imagens analisadas. 

O que é autenticação facial?  

A autenticação facial é uma tecnologia muito utilizada para desbloqueio de smartphones e outras aplicações, funcionando como uma credencial única do usuário e baseada em características biométricas. Após um processo de verificação de identidade, essa credencial é a responsável por dar permissão de acesso ao indivíduo à determinado aparelho, conta ou serviço. 

Um dos principais pontos a serem observados é que a autenticação facial não realiza uma comparação com documentos ou faces já armazenadas em bancos de dados. Em vez disso, ela armazena um template do próprio usuário que será utilizado para comparação posteriormente, garantindo acesso seguro às aplicações desejadas. 

Agora que você já sabe as diferenças entre detecção, autenticação e reconhecimento facial, pode ler este outro texto sobre como o reconhecimento facial tem sido utilizado pelo mercado financeiro no combate às fraudes. E, se quiser saber como a ferramenta de face match da idwall pode tornar o seu cadastro de usuários mais seguro, entre em contato com nossos especialistas pelo formulário abaixo: 

Related Posts

Loading Facebook Comments ...