Home Outros 4 situações em que a sua empresa deveria conduzir um procedimento de background check

4 situações em que a sua empresa deveria conduzir um procedimento de background check

by Karina Menezes
por-que-sua-empresa-deveria-fazer-procedimento-de-background-check

A implementação de programas internos de compliance e ética tem se mostrado uma grande aliada das empresas, especialmente quando se fala em manter o ritmo junto às – cada vez mais rígidas e crescentes  – regulamentações.

Que o diga o mercado financeiro, um dos primeiros a ser impactado pelos custos altíssimos das multas aplicadas por órgãos reguladores em casos de não cumprimento das leis. Por isso, adotar um procedimento de background check, e até mesmo boas práticas entre os colaboradores, devem ser medidas primordiais para evitar a perda financeira e os danos à reputação de uma organização. 

Se antes as empresas adotavam o discurso de que pensar em prevenção era caro, hoje os dados comprovam que a negligência pode custar muito mais ao bolso. Em 2018, o Instituto Ponemon identificou que os gastos de não estar adequado às normas de compliance podem ser até 2.71x mais altos do que o valor gasto com medidas preventivas.

No mesmo ano, a Thomson Reuters divulgou um estudo realizado com mais de 800 empresas ao redor do mundo, onde 20% das entrevistadas reportaram perdas com inadequação às leis que alcançaram o valor entre $50 e $100 milhões. 

Portanto, pensar em soluções como o background check, procedimento que tem como objetivo realizar uma checagem minuciosa de informações referentes a uma determinada pessoa ou organização – está entre uma das medidas preventivas mais adotadas por empresas que devem seguir à risca várias normas, como é o caso do mercado financeiro com a análise de Know Your Customer

Se você ainda não sabe se deveria ou não estar conduzindo um background check em seus parceiros, usuários e fornecedores, apresentamos quatro situações onde esse processo é necessário para proteger o seu negócio:

Oferta de serviços financeiros digitais

Não é novidade que as empresas do mercado financeiro são algumas das mais cobradas diante das regulamentações – desde as diretrizes internacionais Anti-Money Laundering até os procedimentos de KYC, essas empresas precisam ter certeza sobre quem são seus clientes, colaboradores e parceiros.

Além disso, aqui no Brasil, existe também a Lei da Lavagem de Dinheiro (nº 9.613/98), que determina as organizações reguladas a identificarem seus clientes e manterem esse cadastro sempre atualizado, assim como o registro de todas as transações realizadas em moeda nacional ou estrangeira. Por isso a importância de uma identificação apropriada, contando com a consulta em diversas fontes a fim de verificar as informações necessárias. 

Se a sua empresa trabalha com serviços de delivery

Se o seu modelo de negócio se encaixa nesse caso – com certeza – você deve colocar a segurança dos seus clientes e fornecedores em primeiro lugar. E engana-se quem pensa que somente as empresas e profissionais do mercado financeiro estão sujeitos a regulamentações específicas.

Motoboys e mototaxistas, por exemplo, são regulamentados pela lei nº 12.009/09, que exige que pessoas nessa função tenham 21 anos completos. Além disso, o artigo 147 do Código de Trânsito Brasileiro determina que os candidatos devem aplicar aos exames oferecidos pelo órgão executivo de trânsito brasileiro.

Ou seja, as empresas que trabalham com esses profissionais precisam checar a autenticidade de cada um dos dados exigidos por essas regulamentações, de forma que o serviço oferecido seja seguro para todas as partes envolvidas no processo de entrega.

Seu modelo de negócio é um marketplace de serviços ou atende clientes específicos

No mundo da economia compartilhada, os marketplaces de serviço ganham cada vez mais espaço, especialmente por conta da comodidade que oferecem. Ao pensar em um modelo de negócio semelhante, especialmente aqueles que ofertam serviços com atendimento em casa ou trabalham diretamente com grupos mais vulneráveis, como idosos e crianças, é essencial garantir a proteção de toda a cadeia envolvida. É aí que entram as validações de identidade oferecidas pelo background check, identificando informações referentes ao candidato que podem, de alguma forma, constituir algum perigo aos usuários finais do serviço (ou vice-versa). 

Background check na contratação de colaboradores

Este item vale apenas para alguns casos determinados pela lei brasileira – por exemplo, a solicitação de antecedentes criminais, tão recorrente em processos de contratação, só é considerada legítima em situações onde há contato direto do profissional com idosos, crianças e outros grupos vulneráveis, além de porte de armas, altos valores, informações sigilosas ou transporte de cargas. Nessas situações específicas, vale a pena pensar em um procedimento de background check para minimizar os riscos existentes. 

Depois de todas essas informações, você pode estar em dúvida sobre como realizar um background check de forma automatizada, para que não haja impacto negativo no onboarding do usuário e, muito menos, nos serviços oferecidos pela sua empresa. Entre em contato com nossos especialistas e saiba como deixar a sua empresa mais segura com soluções automatizadas de validação de identidade:

Related Posts

Loading Facebook Comments ...