Home OutrosCompliance Tendências em falhas de segurança para empresas em 2021

Tendências em falhas de segurança para empresas em 2021

by Fabiana Lima
Tendências em Golpes 2021: principais falhas de segurança para as empresas

Muitos golpes, falhas de segurança, fraudes e vazamentos aconteceram no último ano e a tendência é que continuem acontecendo em 2021. Uma forma de não ser vítima de crimes cibernéticos é acompanhar as orientações dos especialistas e saber as previsões de falhas de seguranças para empresas.

Neste artigo, você vai conferir quais são as principais tendências em falhas de segurança para 2021 e conhecer as falhas de segurança que a sua empresa pode enfrentar. Confira!

7 falhas de segurança para empresas evitarem em 2021

A tecnologia foi essencial para quem precisou continuar trabalhando, estudando e consumindo durante a pandemia. Isso fez com que um número maior de pessoas começasse a usar a internet por muito mais tempo. 

No entanto, com a notícia repentina sobre o isolamento social, muitas empresas não conseguiram se organizar para proporcionar um ambiente de trabalho digital e seguro. Dessa forma, um cenário de vulnerabilidades corporativas foi exposto às ações de hackers e criminosos. 

Para evitar que esse problema se repita ou que a sua empresa seja vítima de alguma falha de segurança, listamos quais são as principais tendências em golpes cibernéticos para 2021. Acompanhe a seguir e proteja o seu negócio!

Ataque cibernético por ransomware

De acordo com dados divulgados pela 99 Firms, 71% das violações em 2020 foram motivadas por questões financeiras. Ataques com objetivo de tirar dinheiro das empresas de alguma forma continuarão acontecendo com muita frequência em 2021.

Os ataques de ransomware, que consistem em manter o banco de dados das empresas como refém e pedir algum tipo de resgate, como criptomoedas, em troca é um tipo de crime que vai crescer neste ano. Um único arquivo malicioso baixado na rede pode causar danos graves para as finanças da empresa.

Por isso, os profissionais devem ser bem orientados e educados sobre como lidar com e-mails e arquivos de fontes desconhecidas ou duvidosas.

Vulnerabilidades da implementação do 5G mundial

A transferência de dados em nuvem se tornou uma realidade e processo fundamental para o trabalho à distância. Com a chegada do 5G, a expectativa é que a velocidade de transferência atinja 10GB por segundo, o que vai agilizar a rotina corporativa.

Embora seja visto como um grande benefício para a comunicação no mundo todo, o 5G também abre porta para novas ameaças cibernéticas.

A alta velocidade da transferência de dados vai permitir que os hackers consigam infectar mais pacotes de dados e espionar as empresas sem serem notados. Para evitar isso, níveis mais altos de segurança e monitoramento devem começar a ser implementados desde já, antes que o 5G se torne um padrão de transferência e comunicação de dados em nuvem.

Ambiente remoto e a descentralização dos acessos

A chegada da segunda onda de covid-19 em diversos países vai fazer com que o trabalho remoto continue sendo uma necessidade pelos próximos meses. A descentralização dos profissionais cria vulnerabilidades em diversos pontos de acesso. As empresas têm menos controle sobre as redes dos profissionais e o que está sendo acessado no mesmo ambiente em que o trabalho é realizado. 

Com isso, garantir a segurança no trabalho remoto e que as políticas de segurança estão sendo executadas continua sendo um desafio a ser enfrentado em 2021. 

Fora do ambiente corporativo é mais fácil que um colaborador cause uma violação acidental, abrindo um e-mail de phishing ou revelando suas credenciais de acesso. Além disso, profissionais mal intencionados podem aproveitar o cenário para acessar e compartilhar dados sem supervisão.

De acordo com o levantamento 2020 Verizon Data Breach Investigations Report, os casos de ameaças internas correspondem a 30% das violações e outros incidentes de segurança sofridos pelas empresas. 

E-mail empresarial como método tradicional de ataque

O e-mail empresarial é um dos métodos mais tradicionais de ataques usado pelos criminosos. Por ser um recurso confiável, por onde muitos negócios são concretizados, esse ambiente atrai todo tipo de ação mal intencionada.  

O crime acontece de forma sutil, a partir de uma mensagem que parece vir de uma fonte confiável. Envio de boletos, faturas e documentos podem vir carregados de ameaças que os profissionais nem imaginam. 

As empresas devem investir mais em recursos e ferramentas de segurança cibernética, além de orientar os colaboradores para que se mantenham vigilantes para todo e qualquer tipo de ataque.

Ataques diversificados direcionados ao sistema financeiro

A terceirização de crimes na internet é uma realidade que impacta principalmente os sistemas financeiros. A busca por “hackers de aluguel”, que desenvolvem e aplicam golpes diversificados é uma tendência em crescimento.

Os crimes não acontecem por um único meio e com um só objetivo. O vazamento de dados, por exemplo, em geral é causado pela ação de um criminoso que vai vender as informações na deepweb e não utilizá-las pessoalmente.

Por isso, o ataque a um sistema financeiro pode ser uma ação terceirizada, contratada por uma organização e aplicada por outra. Isso acaba dificultando que os responsáveis sejam encontrados e punidos. 

Identidades sintéticas quebrando fronteiras

A fraude de identidade sintética está entre os crimes que mais crescem nos Estados Unidos e a tendência é expandir para outros países. Nesse tipo de golpe, os fraudadores usam dados reais e falsos para criar um novo perfil de cliente e aplicar golpes financeiros. Os crimes são mais fáceis de serem aplicados online, na solicitação de cartões de crédito, abertura de contas digitais etc.

Especialistas alertam para o surgimento de células organizadas de recrutamento que vão tornar mais fácil a contratação de criminosos pelas empresas. Ou seja, fraudadores se passando por colaboradores para ter acesso a dados e informações valiosas.

Esse cenário vai exigir que as empresas invistam na validação de identidade por meio de fontes públicas e privadas, com acesso amplo a um histórico de informações consistentes. 

Falhas no gerenciamento de identidade

O crescimento dos golpes de identidade sintética mostram que as empresas e organizações governamentais não estão preparadas para lidar com esse tipo de crime. O gerenciamento de identidade ainda é um desafio a ser enfrentado no mundo todo, principalmente na América Latina. 

Afinal, para que uma identidade sintética seja criada com sucesso, é preciso ter um sistema falho, que não é capaz de gerenciar os dados dos cidadãos. 

De acordo com a McKinsey, o gerenciamento de identidade, a segurança de mensagens e a segurança de rede são os principais investimentos que as empresas devem fazer para garantir a segurança cibernética em 2021. 

As falhas de gerenciamento de identidade são uma porta de entrada para que crimes de identidade sintética e outros tipos de golpes de identidade aconteçam em sua empresa. Quer saber como a idwall pode ajudar a ter mais segurança com isso? Entre em contato com o nosso time através do formulário abaixo.

Related Posts

Loading Facebook Comments ...