Home OutrosMercado Financeiro Tendências em meios de pagamento para 2021

Tendências em meios de pagamento para 2021

by Fabiana Lima
Tendências em meios de pagamento para 2021

O comportamento do consumidor teve que mudar bruscamente no último ano. A chegada do coronavírus e a necessidade de permanecer em isolamento, fez com que os consumidores tivessem que adotar novos modelos de compra. O digital se tornou o principal ambiente para quem precisa trabalhar, estudar, manter seus relacionamentos e consumir. Com isso, novas tendências em meios de pagamento estão surgindo e prometem ganhar força em 2021.

As empresas terão que se reinventar para adotar essas novas ferramentas e redobrar o cuidado com a sua segurança, pois a transformação digital está sendo tão rápida que não haverá tempo para se aprofundar sobre as soluções antes de disponibilizá-las. O mercado e os clientes pedem uma resposta rápida.

Neste artigo, você vai conferir as 6 principais tendências em meios de pagamentos para 2021. Confira!

Tendências em meios de pagamento para 2021: veja em quais soluções apostar

Pix

O PIX está se tornando uma solução positiva para os brasileiros. No início, muitas pessoas sentiam certa insegurança com a ferramenta e algumas ainda sentem, mas para quem já testou a experiência foi agradável. 

A ferramenta também tem sido usada como um meio para aplicar golpes, pois o pagamento é instantâneo. Com isso, mesmo que perceba a fraude imediatamente, não será tão fácil para o brasileiro conseguir reverter o pagamento. Os bancos já estão estudando formas de aumentar a segurança no uso do serviço, mas o cidadão também precisa ficar alerta com as ações de criminosos.

Carteiras digitais

As carteiras digitais são soluções que reúnem as informações financeiras e de pagamento dos clientes em um só lugar. Com essa ferramenta, o cliente consegue fazer diferentes tipos de transações, sem precisar da sua carteira física.

A principal vantagem das carteiras digitais é serem aceitas em transações digitais e físicas e permitir a integração de múltiplos meios de pagamento. Essa é uma das tendências em meios de pagamento que começou a se popularizar em 2020 e promete se consolidar este ano.

QR Code

A tecnologia pode ser utilizada dentro das carteiras digitais e em outros aplicativos. O sistema de pagamentos do auxílio emergencial, concedido pelo Governo Federal, por meio da Caixa Econômica Federal, permite que seus beneficiários utilizem o QRCode para fazer pagamentos através das maquininhas de cartão. O valor da compra é descontado diretamente do benefício do cidadão. 

Esse foi um meio que a Caixa Econômica Federal encontrou para diminuir as solicitações de saques e transferências no aplicativo, minimizando os picos de acesso dentro do sistema. Dessa forma, ajudou a popularizar o uso da tecnologia.

Soluções “as a service”

As soluções financeiras estão crescendo dentro do modelo “as a service”, ou seja, como um serviço e não produto. A área está caminhando da mesma forma que outros setores da indústria e tecnologia, como Software as a Service (SaaS), Data as a Service (DaaS), Platform as a Service (PaaS) etc. 

Nesse modelo de pagamentos “as a service”, empresas de diferentes segmentos podem oferecer soluções para seus clientes sem ter que desenvolvê-las do zero. Assim, conseguem disponibilizar o serviço com maior agilidade. 

Entre as principais tendências em meios de pagamento, que se enquadram no modelo “as a service”, podemos citar as seguintes opções:

  • Banking as a Service (BaaS): esse modelo permite que qualquer empresa consiga adicionar serviços financeiros em sua estratégia de negócios. O custo operacional é previsível e o tempo de execução é reduzido, pois a integração é feita por API.
  • Fintech as a Service (FaaS): o modelo é um desdobramento do BaaS, que permite às instituições financeiras tenham acesso à tecnologia bancária por meio da contratação de um provedor de tecnologia (a fintech). Nesse caso, diferentemente do modelo BaaS, o contratante se responsabiliza pela questões regulatórias e cumprimento de compliance
  • Acquiring as a Service: esse modelo é exclusivo para o mercado de adquirência. As empresas conseguem criar sua própria operação como player de pagamentos, em todas as etapas, mas tendo uma velocidade maior e com a mesma qualidade de um parceiro especializado. Isso tem permitido que outras empresas do setor façam parte desse movimento.

O modelo “as a service” não está tão distante do mercado brasileiro e da América Latina. Pelo contrário, há uma expectativa de que esse conceito ganhe mais força entre as instituições de pequeno porte ou de outros segmentos, como o varejo, que já estão no movimento de criar e oferecer suas próprias soluções de pagamento.

Biometria

A tendência em meios de pagamento é que cada vez mais os meios físicos sejam deixados de lado. Isso quer dizer que o cliente não terá mais que portar algum cartão de crédito, smartphone ou outro tipo de recurso físico para realizar seu pagamento. O reconhecimento facial e a biometria de voz (voice commerce) já estão sendo utilizados em alguns países, como Estados Unidos.

Esses métodos permitem que o usuário seja identificado a partir de pontos em seu rosto, por meio da íris ou registro de sua voz e conclua um pagamento de forma rápida. Embora já estejam em uso, a sua popularização tende a demorar mais para acontecer. 

Super Aplicativos

Os superapps são soluções que reúnem diversas funcionalidades em um único ambiente. Inicialmente, os aplicativos foram desenvolvidos com o objetivo de atender uma necessidade ou desejo específico, mas isso tem mudado e os recursos estão se tornando multifunções. Dessa forma, o usuário consegue fazer diversas tarefas sem precisar utilizar um aplicativo para cada uma.

A China é pioneira na criação de serviços de pagamento instantâneo e o principal exemplo quando o assunto é super aplicativos. Os chineses contam com dois aplicativos para fazer praticamente todas as transações financeiras. O Alipay e o WeChat permitem que os cidadãos façam e paguem suas compras, façam transferências entre contas etc.

Os superapps estão crescendo e se tornando serviços que englobam diferentes áreas da vida, atendendo necessidades financeiras, de entretenimento, serviços públicos etc.

Aqui no Brasil, vemos essa movimentação com soluções que estão ampliando o escopo de atuação com a integração de soluções de pagamento. Isso quer dizer que o serviço surge com uma proposta e posteriormente passa a oferecer seus próprios serviços financeiros. Um exemplo disso é a Uber, que criou sua própria conta digital.

A tendência é que esse movimento cresça ainda mais com a popularização do Pix e a chegada do Open Banking

Combate a fraudes: as empresas precisam se manter em alerta

O aumento no uso de pagamentos digitais também estimulam as tentativas de fraude em transações, a clonagem de cartões e os golpes por fraudes de identidade. Dados da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), revelam que as tentativas de golpe envolvendo o sistema bancário brasileiro subiram 70% na pandemia.

Diante desse cenário, as empresas que utilizam algum meio de pagamento precisam reforçar a segurança de seus processos. A fraude de identidade pode ser evitada com a validação de identidade dos novos clientes, confirmando que eles são os donos dos dados informados. Quer saber mais sobre o assunto? Preencha o formulário abaixo para conversar com nossos especialistas. 

Related Posts

Loading Facebook Comments ...