Home OutrosIdentidade Como a validação de dados ajuda a reduzir jogadores tóxicos em games online

Como a validação de dados ajuda a reduzir jogadores tóxicos em games online

by Gabriel Duque
validação de dados

Já pensou em usar a validação de dados nos games online? Pois é, essa possibilidade dentro dos ambientes de jogos permite que as plataformas verifiquem a identidade, os documentos e o histórico de um usuário. 

Isso garante que o ecossistema online de jogos fique mais seguro, respeitoso e competitivo, aumentando também o engajamento dos próprios usuários e gamers. 

Vale destacar que as plataformas de jogos online enfrentam uma série de ameaças ao ambiente de games virtuais, como por exemplo:

  • Roubo de dados;
  • Contas duplicadas;
  • Abertura de contas smurfs. Isto é, a criação de um perfil secundário para testar novas estratégias, usar de má fé para vencer usuários menos experientes, ou até vender a conta, uma prática proibida;
  • Ataques virtuais;
  • Uso de informações ou identidades falsas para criar contas;
  • Jogadores tóxicos;
  • Entre outras. 

Neste sentido, uma das questões mais graves e que merecem a atenção por parte das empresas do setor é a presença de jogadores tóxicos. Então, com tantos desafios, a pergunta que fica é como minimizá-los ou resolvê-los. 

A seguir, neste artigo, vamos explicar como reduzir ou evitar os jogadores mal intencionados, usando essa validação de dados, em meio à expansão dos games online. 

Assim, é possível garantir a verificação das informações fornecidas por usuários e sem comprometer a segurança das plataformas.

Crescimento dos games online no Brasil

De acordo com a 8ª Pesquisa Game Brasil (PGB), realizada em 2021, 72% dos brasileiros admitem ter o costume de jogar games eletrônicos, independentemente da plataforma.

Além disso, 75,8% disseram jogar mais durante o período de isolamento social por conta da Covid-19. O que mostra que a pandemia ajudou no crescimento desse hábito.

Mais dados deste levantamento auxiliam para entender melhor esse público dos games online:

  • 22,5% possuem entre 20 e 24 anos de idade, 18,6% de 25 a 29, e 16,7% de 30 a 34;
  • Pata 78,9%, o jogo digital está entre suas principais formas de diversão hoje em dia;
  • 61,6% se consideram um gamer;
  • 40,8% jogam todos os dias em dispositivos móveis;
  • 19,2% dos gamers revelam jogar entre 8 e 20 horas por semana, somando todas as plataformas.

No entanto, ao mesmo tempo em que o ecossistema de games online cresce e se expande, ocorrem problemas e desafios, como o quesito dos jogadores tóxicos, ou que apresentam mau comportamento.

Mas o que são jogadores tóxicos?

Existem algumas terminologias para falar sobre esse tipo de gamers: são jogadores tóxicos, mal intencionados, com mau comportamento, entre outros.

Segundo estudo da ONG Anti-Defamation League (ADL) e Newzoo, pelo menos 74% dos usuários de games online tiveram experiências com algum tipo de toxicidade. Ou seja, acabaram sendo vítimas de comportamentos como provocações, ameaças, perseguições e outros.

Na prática, trata-se de jogadores que fazem uma série de atitudes indevidas durante as partidas virtuais. O que pode variar desde comentários ofensivos e raivosos, até abusos, assédios sexuais e outras ações.

Além disso, entram aqui também os competidores que desobedecem as regras do jogo, afetando o objetivo final do game que é a diversão e uma boa experiência.

Podemos, inclusive, categorizar esses comportamentos em diferentes níveis, como por exemplo:

Leve: 

Aqui podemos observar ‘infrações’ com menor potencial prejudicial. Entre elas, estão a saída de jogos sem encerrar a partida corretamente para não comprometer a sessão. Temos também os spams, quando jogadores enviam mensagens em massa no chat com objetivo de atrapalhar os outros ou simplesmente ser notado. 

Médio: 

Neste caso, os comportamentos já podem ser considerados perturbadores para os outros competidores e a partida em si, causando problemas para as equipes e até afetando a comunicação. 

Pode-se citar:

  • Abandono de partida, quando o jogador deixa a partida, não volta mais e afeta o equilíbrio do jogo; 
  • Ofensas, provocações e xingamentos em direção a outras pessoas;  
  • Difamação, com comentários negativos e mentiras sobre outros, com o objetivo de que todos na partida reportem aquela pessoa.
  • Feed intencional, quando o jogador começa a se matar propositalmente para prejudicar seu time e fortalecer o adversário.

Grave: 

Como pior categoria, temos as atitudes mais ofensivas, como assédio, racismo e xenofobia, com comentários pejorativos, piadas infames e outros comportamentos que fazem com que jogadores abandonem as partidas. 

Caso isso não seja combatido pelas plataformas e empresas, corre-se o risco de se tornar um ambiente totalmente inseguro e negativo. O que pode comprometer até mesmo a imagem do game, plataforma ou empresa envolvida. 

É importante salientar, neste cenário, que boa parte dos jogadores resolve evitar (19%) ou se afastar definitivamente (23%) de certos jogos por considerá-los tóxicos.

O que fazer para reduzir a toxicidade dos jogos?

Ainda conforme a pesquisa da ADL, citada anteriormente, 62% dos usuários pediram às empresas para tornar o ambiente dos jogos mais seguros e inclusivos.

Claro que, para diminuir o impacto da toxicidade nos jogos e promover um ecossistema mais saudável e competitivo, é fundamental buscar medidas para minimizar a presença dos gamers com esse tipo de comportamento.

Para isso, a indústria de jogos, seja as plataformas, as distribuidoras ou demais empresas envolvidas, podem e devem ter uma posição mais severa sobre esse tipo de atitude. Neste sentido, é possível usar uma tripé de ações. Vamos a elas!

1. Definir e divulgar regras claras sobre a proibição do uso de linguagens discriminatórias e de comportamentos ofensivos. 

2. Incentivar que os jogadores relatem e/ou reportem os competidores tóxicos. Com isso, é possível identificar esses maus elementos e penalizá-los, de forma com que eles aprendam com a lição e melhorem seu comportamento, ou que sejam banidos dos games, caso reincidam. Deve-se, inclusive, estipular uma gradação de punições para que as pessoas saibam o que pode acontecer em cada infração.

3. Usar tecnologias de identidade digital para validação de dados dos usuários. Desse modo, as empresas podem identificar, preventivamente, jogadores que não utilizam informações verídicas. O que já pode indicar uma tendência de que aquela pessoa não terá uma atitude saudável nos jogos. Afinal, se a pessoa quer acessar a plataforma de games online com dados que não condizem com os reais, com outra identidade ou com um roubo de informações, já é um sinal suspeito. 

Além do mais, na validação dos dados, também pode-se identificar pessoas com algum histórico de mau comportamento em outras plataformas e jogos, ou com outras intenções ao participar de games.

Leia também: Validação digital de identidade: conheça quais são os benefícios para o seu negócio

E como a identidade digital e a validação de dados podem ajudar?

O uso de uma identidade digital permite a validação de dados pessoais dos jogadores no cadastro na plataforma, com a verificação de identidade da pessoa por meio de foto de documento e selfie do usuário. Assim, é possível ter maior segurança na aprovação dos gamers para entrada nos jogos online.

Primeira identidade digital do Brasil, o MeuID possui diversas ferramentas para auxiliar as plataformas de games e empresas do setor na validação dos dados. Para garantir a verificação completa dos usuários, o app utiliza soluções como biometria facial, background check, OCR e documentoscopia para:

– Validação de dados como e-mail e telefone

– Confirmação de endereço por geolocalização

– Extração de dados e foto de documentos (RG e CNH)

– Verificação por reconhecimento facial por meio de selfie

– Garantia de autenticidade de documentos com a análise de documentoscopia

– Avaliação da situação cadastral do CPF do usuário

– Comprovação da situação do usuário em +250 fontes usando o background check

Leia também: Como o Login com MeuID traz mais segurança e agilidade para o seu negócio

Parceria do MeuID com a GamersClub

Com o objetivo de reduzir a toxicidade nos jogos, garantir a melhor experiência dos jogadores e aumentar a segurança nas plataformas de games, a Gamers Club firmou uma parceria inédita com o MeuID. 

Para tornar o ecossistema de jogos mais seguro, o MeuID irá atuar diretamente na validação de identidade dos usuários no ambiente de jogos. 

Com a parceria, a Gamers Club reforça seu compromisso em transformar o cenário de e-sports em um ambiente mais saudável, inclusivo e seguro para sua comunidade.

Quer saber como o MeuID pode ajudar também a sua plataforma de jogos online ou sua empresa do setor de games? Entre em contato conosco agora mesmo:

Related Posts

Loading Facebook Comments ...