Home Mercado Empresas onshore e offshore: entenda as principais diferenças

Empresas onshore e offshore: entenda as principais diferenças

by Nathalia Paz
onshore-e-offshore

São inúmeras as decisões a serem tomadas no processo de negociação com outras empresas, entre elas qual o tipo de organização a se relacionar. Os dois tipos mais comuns presentes no mercado são onshore e offshore, e cada um possui determinadas características que influenciam o êxito do contrato.

Uma empresa offshore pode realizar os mesmos tipos de negócios que empresas onshore, e as responsabilidades de seus acionistas são geralmente limitadas ao montante de capital investido. A principal diferença é a taxa de imposto aplicada pelo governo na jurisdição — o valor é muito baixo no caso de organizações offshore, podendo ser zero.

Para entender o melhor o que isso significa e o que cada conceito representa para o seu negócio, destacamos algumas das principais características de empresas onshore e offshore.

Onshore

As empresas onshore são baseadas em países que não oferecem regimes fiscais preferenciais específicos ou tratamentos de confidencialidade ou não-divulgação.

A organização conduz uma grande parte dos negócios no país-sede e precisa cumprir as políticas em andamento para divulgar informações públicas, além de enviar relatórios fiscais e contábeis/de auditoria conforme necessário.

Outra característica das jurisdições onshore é que elas têm um setor financeiro e comercial muito bem desenvolvido. Isso, por sua vez, significa que a empresa se beneficia da segurança econômica e empresarial e de várias políticas favoráveis ​​aos negócios, que também podem gerar vantagens fiscais.

Offshore

Empresas offshore são aquelas baseadas em um país que oferece tratamentos fiscais preferenciais e políticas de privacidade e confidencialidade aos investidores. Essas jurisdições proporcionam vantagens como taxas tributária baixas, alto nível de proteção ao investidor e ausência de qualquer requisito para a divulgação dos verdadeiros beneficiários da empresa.

Os países receptores dessas empresas ficaram conhecidos como paraísos fiscais, onde há uma política de imposto zero e as organizações são incorporadas não com o objetivo de negociar internamente, mas para conduzir atividades de negócios internacionais — na maioria das vezes, de natureza financeira.

Além disso, os requisitos de contabilidade e relatórios financeiros são mínimos ou inexistentes. Vale ressaltar que a criação desse tipo de empresa não significa, necessariamente, que ela esteja envolvida em atividades ilegais, como pode-se pensar.

Entretanto, por oferecer tais facilidades, algumas empresas offshore são abertas nos paraísos fiscais com o intuito de obter vantagens e praticar atividades ilícitas como a lavagem de dinheiro.

Isso acontece devido ao sigilo absoluto, ou seja, à não-necessidade de identificação das transações. Além disso, há uma frequente ocorrência de fraudes fomentada pelo financiamento de atividade criminosas e pela dificuldade de rastreamento dos valores movimentados.

Como proteger sua empresa

Sendo assim, principalmente por essa possibilidade de fraudes e de crimes financeiros, relacionar-se com um empresa offshore demanda uma maior cautela. Isso é fundamental não apenas para preservar a saúde e a idoneidade do seu negócio, mas também para obedecer devidamente a processos de compliance como AML (Anti-Money Laundering).

Realizar todos os devidos procedimentos de compliance é um ótimo mecanismo para salvaguardar sua empresa de possíveis problemas na associação com negócios offshore. Afinal, faz-se necessário ter conhecimento das atividades da organização para ter, minimamente, uma segurança das transações.

Como ficou claro, conhecer o seu fornecedor, seu parceiro e seu cliente é fundamental para as empresas que lidam com ou fazem negócios offshore. Portanto, entre em contato com nossos especialistas para conhecer nossas soluções de KYC, KYP, AML e muito mais:

Related Posts

Loading Facebook Comments ...