Home OutrosAnti-fraude Tentativas de fraude ocorrem a cada 8 segundos, diz pesquisa

Tentativas de fraude ocorrem a cada 8 segundos, diz pesquisa

by Julia Boarini
Hacker usa computador; Brasileiros foram alvo de tentativas de fraude a cada 8 segundos, diz pesquisa

Uma pesquisa divulgada pela Serasa Experian revelou que ao longo do primeiro semestre de 2021 os brasileiros foram alvos de tentativas de fraude a cada 8 segundos. Essa foi a maior frequência registrada desde 2011, início da série histórica.

O aumento dos golpes está relacionado com a pandemia, já que muitas pessoas passaram a usar a internet para compras ou serviços.

Continue lendo para ver os principais destaques do levantamento sobre tentativas de fraude.

Aumento das tentativas de fraude em 2021

Somente em 2021 foram registrados 1,9 milhão de ataques digitais, alta de 15,6% na comparação com o mesmo período de 2020.

Os bancos e cartões foram o principal alvo dos criminosos em 2021, com 1,2 milhão de tentativas de fraude, aumento de 59,2%. Já o varejo eletrônico teve o maior crescimento no comparativo com 2020, uma alta de 89,5%, totalizando 167 mil ataques.

Já a telefonia e os serviços apresentaram as maiores quedas no índice de tentativas de golpes, com diminuição de 49% e 19,5%, respectivamente.

O levantamento também revelou que a região Nordeste foi a que teve maior alta de tentativas de fraudes: 20,9%, com 347 mil golpes. Já o Sudeste teve o maior número absoluto, com pouco mais de 1 milhão de tentativas de fraude.

Fraude de identidade é o golpe mais comum

O estudo também revelou quais os principais tipos de golpes no primeiro semestre de 2021. Entre as 6 táticas mais usadas pelos criminosos, 6 envolvem fraude de identidade.

As informações de documentos falsos ou roubados costumam ser utilizadas das seguintes maneiras:

  • Compra de celulares;
  • Compra financiada de aparelhos eletrônicos;
  • Compra de motos, carros e caminhões;
  • Emissão de cartões de crédito;
  • Abertura de conta em bancos com crédito pré-aprovado;
  • Criação de empresa de fachada para aplicar outros golpes.

Em todos os casos mencionados, os golpistas utilizam os dados de cidadãos comuns deixando o prejuízo para eles e também para as empresas envolvidas. 

De acordo com levantamento feito pela idwall em parceria com a Incognia, o setor privado perde, por ano, cerca de US$ 6 bilhões com fraudes de identidade. Por isso, é extremamente importante adotar medidas de segurança e evitar perdas financeiras.

Veja a seguir as melhores maneiras para empresas evitarem fraudes de identidade no cadastro de usuários.

Como se proteger de tentativas de fraudes

Para se proteger de tentativas de fraudes, as empresas devem apostar em tecnologias que verifiquem a identidade dos usuários desde o momento do cadastro, impedindo que golpistas tenham acesso a produtos e serviços.

Para isso, é possível investir em um onboarding digital que agregue diferentes recursos para aumentar o nível de proteção.

  1. OCR

A extração de dados automatizados de documentos, ou OCR, utiliza a tecnologia para identificar o documento fotografado pelo usuário, como RG, CPF ou CNH, e ler as informações contidas neles.

Com isso, as empresas realizando o cadastro ganham mais agilidade, já que não é necessário gastar tempo dos funcionários digitando os dados manualmente. O OCR também aumenta a eficiência do processo, já que erros de digitação são evitados.

  1. Background check

Conhecido como background check, a checagem de informações compara os dados enviados por usuários com diferentes bases de dados. Assim, empresas podem verificar se determinado CPF tem irregularidades na Justiça antes de permitir que o cadastro seja validado.

Existem inúmeras opções de checagem de antecedentes para evitar fraudes de identidade, com cada empresa devendo escolher a que faz mais sentido para o seu negócio.

  1. Biometria facial

A biometria facial tem sido cada vez mais utilizada, pois verifica, rapidamente, se o usuário acessando um serviço é o mesmo que fez o cadastro. Para isso, são comparadas uma foto em tempo real com a enviada no documento no onboarding.

A biometria facial fica ainda mais segura quando é acrescentada a prova de vida durante a verificação. A prova de vida, ou liveness, pede que o usuário realize se posicione na câmera para verificar que está vivo. Quando o liveness ativo é usado, o usuário deve ainda fazer algum movimento, garantindo ainda mais segurança.

A melhor forma de fazer um onboarding rápido e seguro, que proteja sua empresa contra fraudes é unir tecnologias. Os melhores resultados em segurança são alcançados quando o OCR, a checagem de informações, e biometria facial são usados juntos.

Quer saber mais sobre como tornar o cadastro de fornecedores e clientes mais ágil e seguro? Entre em contato com os especialistas da idwall e conheça as melhores soluções para o seu negócio:

Related Posts

Loading Facebook Comments ...