Home OutrosAnti-fraude Verificação biométrica: como utilizar em seus processos de anti-fraude?

Verificação biométrica: como utilizar em seus processos de anti-fraude?

by Gabriel Duque
verificação biométrica

Um dos principais desafios das empresas, atualmente, é se proteger de fraudes e reduzir o número de ocorrências. Afinal, os negócios estão expostos a diversos riscos de golpes e atividades fraudulentas. E os custos envolvidos em cada incidente são enormes. Por isso, a procura de processos, sistemas e tecnologias anti-fraude está em constante crescimento e, neste cenário, o uso da verificação biométrica é uma das opções.

Todos os tipos de organizações, especialmente bancos, varejo, transportadoras, marketplaces e empresas de entrega, estão suscetíveis a fraudes, principalmente no que diz respeito à documentação e à identificação. 

Uma vez que os golpistas podem roubar documentos, adulterá-los e fazer uso indevido de dados pessoais de outras pessoas. Isso sem contar tantas outras práticas ilícitas dos criminosos, como a utilização de CPF de pessoas mortas para abertura de contas, uso de cartões de crédito, realização de compras e solicitações de crédito. 

Leia mais: Como identificar documentos de identidade fraudulentos em um ambiente digital?

Números das fraudes

Só para se ter uma ideia de como está o cenário atualmente no Brasil, segundo pesquisa da CNDL e do SPC Brasil, divulgada em junho de 2021, 59% dos internautas sofreram algum tipo de fraude financeira nos últimos 12 meses. O que representa 16,7 milhões de brasileiros. 

Para piorar, o prejuízo originado por essas fraudes financeiras chegou a R$ 2,7 bilhões, incluídos os gastos para a resolução dos incidentes. Isso sem mencionar outros custos relacionados a impactos negativos na marca que sofreu o incidente.

Outro relatório chamado “O Real Custo das Fraudes”, realizado pela LexisNexis Risk Solutions, também indicou que o custo médio de uma transação fraudulenta no Brasil atingiu 3,86 vezes o valor da transação.

E, para completar, de acordo com levantamento da Axur, o Brasil lidera o ranking de países em vazamentos de dados de cartões. Cerca de 45% de todos os cartões vazados em 2020 foram brasileiros.

Fraudes no onboarding

Vale destacar também que, muitas vezes, as empresas enfrentam essas fraudes durante o processo de onboarding digital, seja de colaboradores, terceiros ou clientes. Ou seja, no cadastro e abertura de contas dessas pessoas em seus sites, plataformas e aplicativos, os usuários podem tentar se passar por outros para fazer parte da empresa e aplicar golpes. 

Por isso, um tema tão importante relacionado aqui é o cuidado em realizar a prevenção de fraudes no onboarding, mas manter uma boa experiência no cadastro das pessoas.

Ferramentas para usar nos processos de anti-fraude

Para evitar todas essas situações de riscos de fraudes e golpes, existem estratégias e ferramentas que podem ser úteis para as organizações. Entre esses processos de anti-fraude, podemos citar:

– OCR: 

O reconhecimento ótico de caracteres automatiza o preenchimento de dados nos cadastros e aberturas de contas, reduzindo erros dos usuários e evitando que fraudadores tenham acesso a dados de terceiros. No entanto, essa solução não é suficiente para fazer uma validação completa e garantir que o documento é do cliente que está fazendo o cadastro, precisando de apoio de outras ferramentas.

– Background Check

Esse tipo de solução consulta os dados dos usuários, de forma ágil e prática, buscando as informações em fontes de dados, com o objetivo de constatar a veracidade dos dados fornecidos. Dessa forma, o background check permite avaliar e antecipar possíveis riscos relacionados a cada pessoa.

– Documentoscopia

Por meio de técnicas e análises especializadas, a documentoscopia ajuda na verificação da veracidade dos documentos. Assim, é possível mitigar as fraudes oriundas da falsificação dos documentos, que têm aumentado consideravelmente.

– Verificação biométrica

A biometria é uma tecnologia em grande expansão, já usada por clientes e empresas em diversas aplicações. Com o reconhecimento facial, por meio de uma selfie e comparação com a foto usada no documento, é possível garantir que a pessoa é ela mesma. Ou seja, é mais uma medida de segurança nos processos anti-fraude.

Leia também: Evite os principais tipos de fraudes com as ferramentas certas

Como a verificação biométrica facial pode ajudar no combate a fraudes

Na prática, existem diversos tipos de verificação biométrica, como impressão digital, reconhecimento de retina, íris, facial e por voz. As mais comuns que usamos são a digital e a facial. 

Como comentamos acima, a verificação biométrica facial é uma análise a partir da comparação de fotos do rosto de uma pessoa para identificar se os dados cadastrais e biométricos estão conectados à mesma identidade. O que ajuda a evitar fraudes por roubo de identidade e golpes.

Para realizar essa validação e identificação, a tecnologia mapeia 80 pontos nodais de uma face e, a partir dessas características, o sistema consegue criar uma ‘impressão’ facial e usá-la na comparação.

Processos anti-fraude

Então, para as empresas em seus processos anti-fraude, esta validação facial é uma etapa indispensável para garantir a identidade do usuário. Isso porque, entre as fraudes mais comuns cometidas, estão:

  • Adulteração da foto da pessoa no documento;
  • Tentativa de tirar foto da identidade de alguém para se passar por aquela pessoa;
  • Uso de máscaras de silicone, que simulam a face de outro usuário, como tentativa de burlar até o reconhecimento facial. 

Além disso, a verificação biométrica ajuda na minimização de roubos de contas e cadastros, já que a confirmação de identidade por reconhecimento facial previne que usuários mal intencionados invadam contas e façam compras ou movimentações suspeitas.

Portanto, todo esse procedimento de detecção e comparação de faces é capaz de auxiliar no processo de validação de identidade dos usuários (colaboradores, fornecedores, terceiros, clientes etc.), nos mais diversos segmentos de mercado. Tudo isso contribui para a redução das fraudes e atividades suspeitas.

Leia também: Reconhecimento facial: como os bancos utilizam essa ferramenta para combater fraudes

Mas como funciona essa verificação biométrica no cadastro de usuários?

Com a verificação biométrica por reconhecimento facial, todo novo usuário deverá, em primeiro lugar, enviar seus dados e documentos no cadastro. Na sequência, deve fazer uma validação com a câmera do celular para captar uma selfie do rosto. 

Após isso, a ferramenta analisa e compara com a imagem do documento e até mesmo com bancos de dados de faces.

Pronto, então, o sistema aprova ou não o usuário de acordo com o grau de similaridade entre a face capturada e a imagem base de pesquisa.

Conheça 5 aplicações da verificação biométrica contra fraudes

Nos processos anti-fraudes, as empresas podem contar com a verificação biométrica por reconhecimento facial para diversas aplicações no dia a dia. Veja alguns exemplos:

Controle de acesso

Com a biometria facial, é possível controlar o acesso das pessoas a locais, com facilidade e baixo custo. Isso pode ser implementado na entrada de prédios comerciais, por exemplo. Ou ainda as organizações podem empregar internamente para salas e ambientes mais restritos, em que nem todos os funcionários podem ter acesso. Essa função aumenta a segurança e evita a ocorrência de invasões.

Serviços bancários

O reconhecimento facial no onboarding digital de bancos e instituições financeiras é um elemento fundamental para garantir que as pessoas cadastradas são elas mesmas. Dessa forma, é possível evitar fraudes e golpes, como solicitações de crédito, usos de cartão de crédito, entre outras situações, que podem provocar prejuízos.

Sistemas internos

Imagine só prevenir fraudes na operação interna dos funcionários da sua empresa no dia a dia. Isso também pode ocorrer com a verificação biométrica facial, já que essa tecnologia pode funcionar como um método de validação durante o uso de sistemas e ferramentas internas, adicionando uma camada de verificação de identidade e evitando o acesso indevido por parte de terceiros.

Setores de transporte, logística e delivery

É comum empresas de logística, transportadoras e até de entregas de delivery sofrerem com o roubo de mercadorias e produtos por parte de golpistas se passando por seus motoristas ou entregadores. Por isso, uma forma de minimizar esse risco é com o reconhecimento facial dos seus profissionais cadastrados.

Varejo e marketplace

Outra fraude corriqueira diz respeito a pessoas se passando por vendedores ou compradores em lojas virtuais e marketplaces para realizar transações fraudulentas ou roubar produtos. Portanto, neste caso, a verificação biométrica facial também pode auxiliar as empresas do setor a validar a identificação de novos usuários no cadastro, minimizando esse risco.

Veja também: Por que sua empresa precisa investir em biometria facial?

Quais os diferentes tipos de verificação biométrica facial?

Para implementar a verificação biométrica no seu negócio, é importante contar com um parceiro sólido e confiável com a solução ideal para as necessidades da sua empresa, como a idwall.

Já existem diversos tipos de verificação biométrica por reconhecimento facial dentro da atuação da idwall. Essa tecnologia começou com as selfies, depois com a prova de vida e hoje já existem ferramentas mais robustas como a comparação em um banco de faces. É o que veremos a seguir!

Face Match:

Permite verificar se a foto de um documento e a imagem enviada por um usuário pertencem à mesma pessoa.

Face Liveness Detection (prova de vida):

Certifica se as fotos recebidas não são forjadas por fraudadores, como por exemplo, imagens tiradas de outras telas, máscaras 2D, vídeos e outros. A prova de vida passiva faz essa validação a partir da análise das características da imagem enviada pelo usuário, enquanto a ativa realiza a análise de movimentos faciais em tempo real.

Facelink:

A partir da busca em uma base de faces, é possível identificar se os dados biométricos do rosto de um usuário estão conectados ao mesmo CPF registrado anteriormente no cadastro, em um processo rápido e sem fricção. Como resultado da análise, a ferramenta traz um índice de confiança a respeito dos dados e você pode aprovar ou reprovar o usuário.

SDK Onboarding:

Com essa solução, é possível melhorar a experiência no cadastro, ajudando os usuários a tirarem fotos corretamente nos fluxos de onboarding web ou mobile. Com uma interface intuitiva, as empresas evitam que as pessoas enviem fotos embaçadas, de baixa qualidade ou sem face. O que reduz solicitações para refazer o procedimento e diminui as reprovações indevidas.

Todas as soluções da idwall contam com machine learning treinada para identificar rostos brasileiros e você pode integrar todas as ferramentas em um mesmo projeto. O que aumenta as camadas de segurança, reduz de forma mais drástica as fraudes e garante que sua empresa estará em compliance com as legislações vigentes.

Quer saber mais detalhes sobre como as nossas tecnologias elevam a segurança das suas verificações biométricas? Entre em contato agora mesmo com nossos consultores!

Related Posts

Loading Facebook Comments ...